domingo, maio 20, 2007

um senhor tão bonito quanto a cara do meu filho

comemorar aniversário é um pouquinho como ser judeu no velho testamento. Afinal, celebrar o tempo é praticamente a mesma coisa do que adular aquele cara hediondo de barbas brancas que manda dilúvio pra cima da terra quando fica bravo e mata a família do pobre Jó por causa de uma aposta com o diabo (tipo de situação que na literatura atual está mais associada com o Jason, o Freddy Kruger e outros seres menos divinos). Mas o fascínio com tudo aquilo que é maior do que nós mesmos é quase intrínseco a espécie, e não é de hoje que olhamos deslumbrados para as avalanches e os temporais. Então acho que vale. E se não vale, pelo menos acaba acontecendo. São oito da noite de domingo, e eu mal e mal consegui acordar da letargia.

Um comentário:

Biti disse...

Valeu sim!!!! Pena que cheguei um pouco tarde para curtir tooooda a comemoração. Same day, next year.