segunda-feira, novembro 17, 2008

novas formas de solidão no mundo moderno (xviii): melancolia do ipod de 80 GB

literalmente todos os dias eu ouço alguma coisa no meu iPod que me parece do caralho. Que me dá vontade de gritar pro mundo "cara, olha só que do caralho". E aí logo depois me pego fantasiando com cenas imaginadas em que eu mostro isso pra alguém, boto o som pra tocar numa festa, ou até toco um cover num estádio lotado, ou faço qualquer coisa que me permitisse compartilhar o sentimento de estar achando aquilo do caralho de alguma maneira.
E aí me lembro que
(a) minha banda só se apresenta uma vez por ano pra meia dúzia de pessoas, e por pura preguiça acaba voltando pros mesmos sons de sempre, até por causa das nossas limitações óbvias.
(b) eu não sou dj, festa lá em casa só uma vez a cada dois meses, e pra alguém se animar a ir pra pista tu sempre tem que acabar tocando os mesmos infectos hits pop dos anos oitenta.
(c) pouquíssima gente à minha volta parece realmente interessada em música, e quando eu encontrar esses poucos já vou ter esquecido do qeu eu queria mostrar, até porque provavelmente já não vai fazer sentido mesmo.
e então me resta tentar escrever algo pra tentar partilhar algo com o mundo, mas simplesmente não tem a mesma graça: letrinhas são sempre medíocres perto das suas amigas notas.
ou então deixar o soulseek ligado, e acreditar que alguém em algum canto do universo vá baixar aquilo e ser feliz. O que é um pouco como postar isso aqui.
no fim das contas é sempre questão de fé.

2 comentários:

Anônimo disse...

me incluo no universo das pouquíssimas pessoas e com óbvias limitações. precisamos tirar uma melodias amigas de certas músicas. quando curar essa boca maldita, me liga pra tocarmos um horror. Sebastian

Flau disse...

pode dividir comigo também! eu agradeço! beijocas